Postagens

Mostrando postagens de Abril 18, 2011

C49-152 Um rockordel pro Rock Bar

(Onde se sente, onde se vive curtição, pr’onde se vai pra poder comemorar)

I
Entrei no barzinho à moda inglesa
E dei de cara com aquela novidade
Era um conjunto de grande beleza
Era a certeza de nova realidade:
Os Stones e os Doors ‘tavam junto’
Gente viva e um molho de defunto’
Jamais mortos na’sfera da claridade.

II
Tinha fumo, mas agora é proibido,
Tem o Rock como nome de batismo
E o Bar por sobrenome já sabido,
O Rock Bar é o point sem lirismo:
A atitude pode ser de transgressão
Só na origem, agora há permissão,
E a plateia nem aí pro tabagismo.

III
Volto ao pub e ano novo comemora
Seis anos de palco, pra Esperança,
Para a prata que em ouro se arvora
Pro musicista que na noite se lança.
Com sua arte a sua sina não espera
Como nos Flávios, Germano Batera,
E a frustração do romper de aliança.

IV
Mas, vez por outra eu vou por lá
Pra sentir o que emana, a vibração
Das paredes, do teto desse lugar,
Que de fora vem trazendo atração.
Delito, Controlvê e suas gargantas
Patrícia Menezes e Ronny Dantas,
Na batida que resv…