Coletivos | Bumba-meu-boi de João Marcolino etc. | DJBC

ANOS 70
...
SD O Boi, *dança junina que por aqui se brincava no Carnaval.
ACERVO: João de Patrício. TRATO: Evaldo Brasil.

1997
...
16JUL97 O Boi de João Marcolino citado em poema.
POEMA&TRATO: Evaldo Brasil.

2010
...
FEV10 O Boi Preto no cordão de frente da Escola de Samba “Morro do Piolho”. FOTO&TRATO: Evaldo Brasil.

2011
...
06MAR11 O Boi da Escola de Samba “Morro do Piolho”, do Mestre Marconi.
FOTO: Marcos Câmara. TRATO: Evaldo Brasil.

2014
...
MAR14 O Boi da Quero Mais, abrindo alas das Troças.
ACERVO: Associação Afro-cultural Quero Mais. TRATO: Evaldo Brasil.

...
...
16FEV14 O Boi Acadêmico nº 01, da Última Hora, no concurso prévia carnavalesca. FOTO: Joelmir Ribeiro. TRATO: Evaldo Brasil.

2017
...
27FEV17 Abrindo alas para a Acadêmicos da Última Hora, o Boi de couro novo, pelas ruas da cidade.
FOTO&TRATO: Evaldo Brasil.

...
...
07SET17 Referência mista das culturas afro e indígena, o Boi desfila no 7 de Setembro. 
FONTE: Secom/PME. TRATO: Evaldo Brasil.

O Boi de Marcolino

Foi Evaldo Brasil que me instigou a pesquisa, quando questiona em seu poema: “O que matou meu boi? O de João Marcolino/ Boi dos meus carnavais quando eu era menino" (Noção Planetária). Pinçando aqui e acolá reconstruí parte desta história, cujo complemento fica a cargo dos nossos leitores em seus comentários.

Conta a lenda que uma escrava grávida desejou comer a língua do boi do seu senhor, que o marido sacrificou para saciar a sua vontade. O animal era muito querido e por essa razão curandeiros foram chamados para ressuscitá-lo. A festa em si é a celebração quando o boi volta à vida.

Em muitos Estados se observa esta tradição, mas em Esperança na Paraíba a representação acontece no período de carnaval.

O Bumba-meu-boi ou Boi-bumbá esperancense se tornou mais conhecido a partir do bloco fundado por João Marcolino dos Santos em 02 de fevereiro de 1962. Apesar de existir em manifestações anteriores, este foi o mais original e duradouro bumbá de Esperança.

Adaptado ao tríduo momesco, o Boi de Marcolino chegou a ter 150 componentes que eram guiados pelo zabumba, triângulo e a sanfona ao som do “Boi da Cara-preta”. Era confeccionado em madeira e papelão, coberto com tecido de “chita”; e adornado com chifres naturais e espelhos de diversos tamanhos e formatos.

Outra característica nossa, foi a introdução de animais como o Urubu, quando então se cantava “O urubu tá com raiva do boi”.

O bloco saia às ruas na manhã do Domingo pré-carnaval conduzindo os foliões, permanecendo ativo até o final dos anos 80. Hoje o conhecido “Arrasta-tudo” é um remanescente do velho boi cujo criador era apenas um sapateiro da cidade.

Quem matou o boi? Não foi a mulher desejosa, pois nesta lenda ele vive depois. Por aqui, dizem que foi um tal de “Falta de apoio” que tem feito muitas vítimas culturais.
 Rau Ferreira


Comentários

  1. Judite Galdino, via Facebook: Umas das grandes criatividade que presenciei, nos mais belos e criativos carnavais de Esperança. Contínuo a afirmar: Esperança era grande.

    Fátima Macedo, idem: Bem novinho!

    Jorge Assis: O dono do bloco Faculdade do Bacurau é filho de João Marcolino.

    Nilza Flor: Eu estava ai.

    João Delfino: Marcou uma época. Muito aguardado nos Carnavais. Época de corso, lança perfume, confete, serpentina, pó (talco), fantasia, orquestra e muita animação. As famílias se sentiam honradas em receber os blocos. Até Dom Palmeira recebia alguns, sempre regado a suco de uva, muita comida, descontração.

    ResponderExcluir
  2. Judite Galdino, idem: Era uma festa familiar, é por isso Dr. Delfino, que eu sempre menciono. Como Esperança era grande, quando a população era inferior aos tempos de hoje, e naquela época tudo era bom, bom de se ver, bom de brincar. Enfim, era um sonho!!! Abs.

    ResponderExcluir
  3. Nilza Flor, idem: Obrigado por ter sido incluída nesse comentário.


    Odaildo Taveira: Que saudade do nosso amigo João Marcolino. Era a alegria do nosso carnaval, não esquecendo o nosso querido Canindé, que era o Urubu esperando a morte do Boi pra fazer sua refeição. Kkkk

    ResponderExcluir
  4. Cida Galdino Galdino, idem: Que saudades... dos carnavais que passaram! Aí era um carnaval! Corsos, blocos, confetes e serpentinas... Paqueras não era problemas kkkkkkkkkkkkkk Orquestras de frevos que abalavam e conjuntos inesquecíveis! Famílias e as mais belas fantasias! Saudades....

    ResponderExcluir
  5. Gutemberg Gonçalves Santos, idem: João ainda desfilava no Bloco "Bom porque pode" de Novo Pereira e Manoel Gonçalo.

    Jean Carlos Ferreira: Ainda tenho lembranças, eu era muito pequeno e tinha muito medo. Q saudades!

    ResponderExcluir
  6. Cléo Meira, sobre: Adorava! Ele vinha engraçadíssimo com esse boi, descendo a Rua do Boi, a minha rua, embriagadíssimo! Era divertidíssimo!

    Sandro Romero, idem: Brinquei muito acompanhado esse Boi de João Marcolino. Era muita diversão pelas ruas de Esperança, abraços aos meus conterrâneos dessa época de ouro.

    ResponderExcluir
  7. Jailson Braga Brandão, idem: Lembro muito!

    Rosimar Gatto: Nada marca mais o Carnaval de Esperança do que o O Boi e o Urubu.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Destaques

Arquitetura | Esquina de Bento Torres | AM

Registro | Alagamentos 2011 | CAPU*

Especial | Símbolos Municipais 3 | LG*

Personagem | Bispo Francisco Menino | BJTH*